23.6.08

Sob o sol

Tão dentro e perto

Um rastro de mundo pousa nas pontas dos dedos

Tão fugidio e certo

escrever marcando territórios internos

onde ficamos

e ao mesmo tempo

nos despedimos deles


passos fundos sob o sol



(Um impulso poético que às vezes me dói)

2 comentários:

gislaine bueno disse...

Te leio e me vejo. Acho que a conquista de um leitor se dá muito pela identificação. O problema, pra mim, está no excesso de espelhamento no próprio texto. Aí, eu fujo e minto, aí já nao parece verdade. Nao sei o que é pior, enfim.

Ok, só pra dizer que entre tantos outros por aí, sou eu mais uma fã sua!

um abraço.

Rodrigo M. Freire disse...

"onde ficamos e nos despedimos deles"

um "eu" vai, um "eu" fica. e os dois vão e ficam.

me deu uma sensação de cotidiano a mensagem. pode ser o título.

e claro, tão reflexiva, como a vó na cadeira de balanço. rs.

gostei.

beijo!